domingo, 15 de fevereiro de 2009

Um Caso de Amor

Não sei ao certo quando começou, só sei que ainda não terminou.
Sei que quando a tive em minhas mãos pude tatear a forma de seu corpo, perceber cada contorno, a sua temperatura, ouvir o som discreto de seu movimento, pude sentir a sua superficie, pude faze-la funcionar com um simples toque de meus dedos.

Não consigo me ver sem ela, não vejo sem el
a e não consigo mostrar sem ela. Ela é minha amante, minha amiga, minha companheira, um amor paralelo que me consome e me faz consumir cada segundo de mnha vida querendo estar a seu lado.
Hoje faz parte de meu corpo, faz parte de minha alma, de minha vida e de meu ser.

Na maioria das vezes eu a amo, as vezes a odeio.
Confesso que não queria que fos
se dessa forma, que eu me sentisse tão dependente assim, mas não consigo, não conseguirei e não quero conseguir viver sem ela.
Através dela muitas vezes fui amado, por outras odiado, mas em ambas somente existi e existo por causa dela.
É mais do que pessoal, é mais do que espiritual, simplesmente é essencial.
Um caso de amor e um caso de ódio, mas nunca e jamais um caso de desprezo. Te quero, te preciso e te tenho. Minha amada amante:

A Camera

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.